RSS

Arquivo da tag: Política

Um Brasil de abusos

Existem vários estereótipos, quando queremos definir um japonês, logo descrevemos um pequeno rapaz, com rosto de outros milhões, andando predestinado, fazendo coisas “estranhas” e qualquer coisa que “japas” façam. Americano é aquele obeso, amante da violência e de carros potentes(esse último eu amo), super conservador, um redneck. E o brasileiro? É simplesmente aquele folgado, adora usar suas artimanhas para chegar aonde quer, preguiçoso mas alegre. É, só brasileiro é alegre.

Seria sim legítimo esse rótulo. Vivemos em um país de abusos e mais abusos. Desde o indivíduo da mais baixa classe, até o de maior importância, tanto política quanto econômica. Tomar uma dose de Brasil é complicado, é um drink muito amargo, imagine só.

Comece imaginando a sua destreza ao enfrentar nosso trânsito, com tantos imprudentes, alguns por ignorância das leis e outros por obsessão de chegar rápido. Existem ainda os que se sentem os deuses da rua… É um show de horrores. Agora você chega no banco, observa alguém tomar o seu lugar na fila, porque o banco não se preocupa com modernização mas te faz esperar 40 minutos para pagar uma mísera conta. Essa conta tem impostos altíssimos. São o alimento dessa gigante máquina estatal, defasada e lenta.

Lembre-se da conta, é de luz, agora você vai para a sua casa torcendo para ter energia elétrica. Se tiver sorte vai poder ligar a televisão e ver o caso do Mensalão(só ele, porque só existe o PT), várias mortes e assassinatos. É um bom conteúdo para o seu descanso. Sim, você descansa, 6 horas de sono é o suficiente para a sua rotina de 12 horas no trabalho/carro.

Se na sua própria rotina, você conseguiu destacar tantos abusos, agora olhe para a cena política. O STF tenta fazer justiça com as próprias mãos, passando por cima da Constituição Federal, quer condernar sem provas. Interessante é que tantos não foram condenados, mesmo não tendo provas contra. Hoje é preciso provar a sua inocência. Virou um julgamento poítico. Uma crise institucional. Abuso.

O Legislativo junto com o Executivo de alguns estados ou municípios, só aumentam seus salários, bem acima da inflação. Sim eles perderam poder de compra, nós vamos receber nosso aumento para compensar mas não seria a hora de, acabar com esses salários absurdos? Bastariam não aumentar a cada ano. Não representam o povo e sim quem os apoiou, quem os financiou. Se venderam sem a nossa permissão. Abuso.

Os meios de informação usam seu poder para intrometer na política. É fácil perceber a perseguição à esquerda brasileira e o amor aos direitistas. Colocaram Collor no poder e retiraram. Manipulam sem preocupação com a nação. Abuso.

E a polícia? Se auto intitulam juízes da vida, eles setenciam a morte. Não existe recuperação, são todos iguais, são lixos e devem morrer, é o que dizem. As pessoas que defendem isso, estão abusando, concedendo um poder acima do normal. Deve existir o equilíbrio entre forças em um Estado. Você que hoje é contra leis que te defendem, os direitos humanos, é porque ainda não os viu sendo violados, de forma mais explícita. Espere e verá.

A igreja, na forma dos pentecostais e católicos, agrariam fortunas encima dos mais necessitados, não pagam impostos e tentam impor seu modo de pensar na sociedade. Interferem cada vez mais na política. Querem uma teocracia. Não aceitam críticas porque isso é “intolerância religiosa”. Abuso.

E você? Abusa?

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 14 de janeiro de 2013 em Artigo

 

Tags: , , , , ,

Guerra social

O convívio social, algo inerente do homem político essa atividade começa desde cedo e com isso se amplia as faculdades sociais e mentais. Aos desavisados, o social lhe parece algo abstrato mas quando do se observa de forma minuciosa se percebe a guerra necessária para isso acontecer, mesmo com o pacto afirmado como é possível isso acontecer?

Não há como negar o infortuno de uns e a fortuna de outros. Estou falando da desigualdade do ser humano. Rosseau se propôs a examinar essas diferenças e conhecer os impactos que provocam no meio social, não é a guerra do estado natural e sim a guerra do homem social. Tais diferenças podem ser em relação às paixões mas não é isso a que me refiro e sim às qualidades físicas e mentais que se fazem destacar no estado natural e social.

Essas qualidades físicas e mentais aplicadas diretamente no meio social geram fenômenos como: nascimento de um soberano, divisão de classes, relações entre patrão e ploretariado e outras. O homem que se sobressai na atividade que faz, logo é retribuido com respeito dos demais, a pessoa que consegue fabricar maior número de determinado objeto com menor esforço, também se sobressai sobre os demais.

Como estamos dialogando sobre o homem social, é provavel que o pacto está afirmado, então era necessário que se igualasse o humano, enquanto integrante do meio social, e isso é pensado por Rosseau e Hobbes. O senhor do leviatã diz que as leis devem ter equidade e se aplicarem a toda população, para dirigi-los ao caminho certo e não fazerem os membros do ser se chocarem. Nasce ai a cidadenia que é destinada a todos e não só alguns, não importando suas qualidades, defeitos e classe social.

A última é o grande fruto da desigualdade, não que seja um fruto particular mas sim compartilhado com outros movimentos, como os desejos e a natureza humana. Esse fruto garante o nascimento de uma larva, que se movimenta e alimenta nele, que é o capitalismo. Logo as desigualdades que geraram os primeiros soberanos, propiciaram o nascimento do mal acima.

Logo as leis e a cidadania que querem igualar os homens, se chocam com a síntese das desigualdades, o capitalismo. No pacto exterior existe cada um de nós, seguindo e modificando o Estado, no pacto interior existe o patrão e o ploretário, seguindo a ordem da desigualdade. Acima se vê a piramide social, com o fruto das desigualdades amostra, a base social com os mais pobres, a classe mediana e a elite. Como é possível a convivência em paz com tal catalisador de discordia? Já que a inveja alheia e ódio são naturais do ser humano.

É claro que as qualidades podem ser adquiridas com o treino e logo a pessoa que a adquiriu pode se sobressair sobre os demais, o mesmo ciclo dito anteriormente.

Então concluo que é impossível a igualdade plena, ela é presente apenas no âmbito social. No sistema ecônomico que nos governa, já fica desigual e isso provoca as discordias. Sempre vivemos e continuaremos nessa guerra social, uma vez que a natureza humana pouco mudou.

 

 

 

 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27 de setembro de 2011 em Pensamentos

 

Tags: ,

Jogo político.

Em meio a crise do governo bipartidário, é pertinente o jogo de interesses que envolve a esfera política. Não é de hoje que isso ocorre, desde os primeiros reinos, ocorre em todos os lugares, discordo que hajam nações ideais. Isso não existe, o homem tem seu poder destrutivo e não podemos nega-lo.

Para as pessoas que não entenderam o que vem ocorrendo, explicarei com clareza. No governo Lula, já vinham sendo firmados alguns alicerces com o PMDB, para então poderem ser aliar. Ocorreu a aliança, Michel Temer escolhido como a ponte entre os dois partidos, este que é nosso vice-presidente. Conseguiram o que queriam, Dilma se elegeu, até ai ocorreu tudo bem (em relação a aliança). Derrepente a oposição cultiva boatos do enriquecimento de Palocci, começa então uma operação de blindagem ao Palocci, ao mesmo tempo na Câmara transitava o novo Código Florestal e o caso do “kit gay” (taxado assim pela bancada evangélica). Membros do PMDB, que eram aliados, votaram a favor do novo código, sendo que o governo Dilma é contrário a isto. Logo o governo Dilma que teria maioria na Câmara, por causa de sua aliança e seu próprio partido, acabou sendo derrotado.

O que isso traz de ruim para nós? O novo Código Florestal é uma licensa para desmatar, não é preciso desmatar mais para cultivar mais. Querem produzir uma agriculura extensiva mas o certo é uma agricultura intensiva! É preciso investir no agricultor familiar, uma vez que as políticas de subsídio são risórias. Apoio técnico a essa classe é pequeno, não há comprometimento. Na primeira grande batalha a aliança não resistiu. É como uma família, pais e filhos, na primeira briga os pais acabam se separando e os filhos acabam sofrendo e muito com isso. Se essa aliança não se firmar de vez, o que acho difícil, ocorrerá novos conflitos.

Outro fato atual? O ato de vetar o “kit gay”, Dilma como tentativa desesperada de blindar Palocci, não resistiu a primeira investida da bancada evangélica do Congresso Nacional. Ameaçaram não ajudar na proteção do Ministro da Casa-Civil, em troca de sua ajuda era preciso vetar a distribuição do “kit Gay” e foi o que ocorreu. Veja você mesmo o conteúdo dos videos: http://www.youtube.com/watch?v=2vfxsoFFXGc. Denovo um grande movimento progressista é barrado pelo jogo político, se é bom ou não, discorro depois, porque não totalmente a favor.

Voltando ao jogo político, teria ocorrido uma ligação de Palocci a Michal Temer, ameaçando-o de demitir os ministros do PMDB. Tal notícia que vi no G1 e em blog de seus colunistas, logo achei estranho, como ele faria tal burrice. Mandei uma mensagem perguntando se o fato realmente ocorreu, não ouve resposta (ainda). Logo a mídia entra neste jogo, de imparcial não tem nada neste meio. http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/05/temer-diz-ministros-que-atrito-com-palocci-esta-superado.html. Ápice da notícia: “segundo informou uma fonte do governo.”

Tais alianças é uma faca de dois gumes para a nação, se boas leis forem aprovadas com facilidade pela fato da aliança tudo bem então, mas se isso for usado para aprovar leis que sejam de benefício destes dominantes. Então pende mais para o lado ruim, uma vez que se eu consigo vencer uma eleição, preciso ajudar quem me ajudou então distribuo cargos públicos aos meus aliados, sendo bons ou não as pessoas, preciso retribuir o favor. Um principe precisa de alicerces para chegar ao poder.

Tais fatos não podem nos desanimar, a população precisa se engajar na causa política, não existem apenas ladrões, muitos tem bom caracter e temos que previligiar estes! Toda esta sujeira se intensifica com a nossa omissão, não acredito em dogmas de revolução, mas sei que a sociedade tem força!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30 de maio de 2011 em Discorra

 

Tags: , , , ,