RSS

Mistério político

28 nov

A questão que não muda, imutável como a natureza humana, talvez por isso mesmo não mude. Voltamos a ter notícias dela e esteve em destaque enquanto a mídia obteve vantagem em acompanhar. As Revoluções políticas em foco novamente, batendo de frente com o despotismo declarado do Oriente Médio. Mas em alguns casos, os resultados são ruins como já ocorrera.

O Egito viveu o estopim das revoltas populares contra os governos despostistas declarados. Governos que usavam como base de legitimação a religião, uma base já defesada que perdera a guerra contra os iluminados da época das revoluções europeias e do mundo novo. Com uma base que define um governo centralizado, opressor e indivisível teve, tem e terá resultados catastróficos. Mesmo que se coloquem contra argumentos como: proteção contra a invasão comercial neoliberal, isso não estanca as injúrias passadas.

O fato intrigante é que o despota caiu e o governo que deveria ser democrático caiu nas mãos de um conselho militar. Com a queda do antigo líder, poderia esse conselho estar disposto a levar em consideração as reivindicações populares, reconhecendo o poder destes. Aconteceu que houveram protestos e novamente mortes políticas ocorrem. Um caso intrigante mas não novo.

Citei as revoluções europeias, então chgamos a Revolução Francesa. Após a queda de Luis XVI os jacobinos assumiram o poder, com a burguesia e sans-culottes finalmente saindo vitoriosos contra a nobreza e clero francês. O que se viu após foi um massacre contra os opositores, com o seu poder indivisível, mal interpretando Rousseau.

Muitos anos mais tarde a teoria socialista reaparece com Marx e vimos outra revolução. Com a chegada de Stalin no poder mais massacres ocorrem em decorrência da preservação da unidade nacional, ou seja, os opositores deveriam morrer. Propiciou um terror maior que Robespierre.

Fica claro que a opressão pré-Revolução usada para suprimir os opositores ao modelo atual pode ser usada também na pós-Revolução, com o mesmo intuito, suprimir os opositores em detrimento do modelo adotado. Por isso Robespierre e Stalin cometeram seus massacres mas Luix XVI e Czar Nicholas II também o fizeram. Vide Domingo Sangrento e outros. Então coloquemos a Revolução não como a resposta para todos os problemas políticos que assombram um país mas sim como uma fórmula instável. O futuro soberano também é um ser humano e sem bases políticas que limitem seu poder e dêem autonomia aos súditos, mais despotismo vai ocorrer.

A única revolução que deve ocorrer é no interior de cada cidadão civitas, deve emergir a razão. Seu pensamento crítico para analisar as ações do Governo e definir as suas para o bem comum, o bem da sociedade. Isso provocou revoluções pacíficas como o dos Estados Unidos. Mas como a natureza humana é realmente imutável isso acontece apenas nas nações que amadureceram o pensamento democrático e não nas que permanecem no despotismo, então alguém precisa amadurecer.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 28 de novembro de 2011 em Uncategorized

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: